01/03/2010

Hibernação Literária


Olá, queridos
Viemos dizer a vocês que, nesse momento, precisamos canalizar todos os sentidos para a conclusão do segundo livro da nossa Trilogia, e por isso vamos nos afastar temporariamente da blogosfera. Eventualmente, daremos notícias aos amigos sobre o projeto em andamento. Quando sentirem saudades, deixem recados que responderemos em seu blog, ok?
Obrigada por nos visitar!!!
Beijos
Cristina e Márcia

22/02/2010

Seja Feliz!



Acorda, menina!
É hora de sair do mundo dos sonhos,
os devaneios não são perenes!
O brilho do seu olhar revela o muito que vai em sua alma...
Então, deixe a alegria fluir em seu caminho,
Seja feliz! Seja livre!

Nós



Conheçam o blog da Ciene:

15/02/2010

Ausência

"Eu deixarei que morra em mim 
o desejo de amar os teus olhos, que são doces.
Porque nada te poderei dar, senão a mágoa
de me veres eternamente exausto.
No entanto a tua presença é qualquer coisa
como a luz e a vida!
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto, 
e em minha voz, a tua voz.
Não te quero ter, porque
em meu ser está tudo terminado!
Quero só que surjas em mim,
como a fé nos desesperados."

 
          Vinícius de Moraes

10/02/2010

Olhar Abusado e Quente



Olhar que morde, devora, se delicia, me delicia...
Abusado!
Vai...penetra então, e arranca minha alma!
Aprisione minha existência em seu mar de fogo.
Satisfaça meus frêmitos delírios...
por hora; por hora...
Cristina

Olhar que me faz arder
que promete e me derrete, fogo de ilusões
a me diluir em lavas
Deixa no meu âmago teu calor, 
por toda vã eternidade...
Márcia

29/01/2010

Sou Assim...


"Meu mundo se resume a palavras que me perfuram, a canções que me comovem, a paixões que já nem lembro, a perguntas sem respostas, a respostas que não me servem, à constante perseguição do que ainda não sei.

Meu mundo se resume ao encontro do que é terra e fogo dentro de mim, onde não me enxergo, mas me sinto."

Martha Medeiros

23/01/2010

Saudades...


Sinto saudades de tudo que marcou a minha vida.
Quando vejo retratos, quando sinto cheiros,
quando escuto uma voz, quando me lembro do passado,
eu sinto saudades...

Sinto saudades de amigos que nunca mais vi,
de pessoas com quem não mais falei ou cruzei...

Sinto saudades da minha infância,
do meu primeiro amor, do meu segundo, do terceiro,
do penúltimo e daqueles que ainda vou ter, se Deus quiser...

Sinto saudades do presente,
que não aproveitei de todo,
lembrando do passado
e apostando no futuro...

Sinto saudades do futuro,
que se idealizado,
provavelmente não será do jeito que eu penso que vai ser...

Sinto saudades de quem me deixou e de quem eu deixei!
De quem disse que viria
e nem apareceu;
de quem apareceu correndo,
sem me conhecer direito,
de quem nunca vou ter a oportunidade de conhecer...

Clarice
Lispector

11/01/2010

Ser Poeta...


Ser poeta é ser mais alto, é ser maior do que os homens!
Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!

E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!

Florbela Espanca

Photobucket

04/01/2010

Teus Olhos





Quero apenas cinco coisas...
Primeiro é o amor sem fim;
a segunda é ver o outono, e
a terceira, o grave inverno.
Em quarto lugar, o verão.
A quinta coisa são teus olhos...
não quero dormir sem teus olhos!
Não quero ser... sem que me olhes.
Abro mão da primavera para que continues me olhando.


Pablo Neruda


Tentamos sempre colocar os devidos créditos para as imagens. Caso alguma esteja protegida pela lei de direitos autorais, entre em contato conosco que retiraremos em seguida.

"Vivo nas estrelas porque é lá que brilha minha alma." (Manoel Bandeira).

"Sinto-me nascido a cada momento para a eterna novidade que é o mundo...." Fernando Pessoa

"A Alma não tem segredo que o comportamento não revele!" 
Lao-Tsé